EFEViena

A produção de petróleo na Venezuela voltou a retroceder em maio em 35 mil barris por dia (b/d) depois de uma leve recuperação em abril e seu bombeamento diário está em 741 mil b/d, segundo informou nesta quinta-feira a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), citando fontes secundárias.

No relatório mensal divulgado hoje em Viena pela Opep, da qual a Venezuela é membro, são disponibilizados dados de "fontes secundárias", isto é, uma média de estimativas de institutos independentes.

Nesse quesito de fontes secundárias, a produção da Venezuela retrocede em 35 mil barris, diluindo o leve aumento registrado no mês passado e ficando em 741 mil b/d, menos da metade do bombeamento médio de 1,911 milhão de barris diários (mb/d) registrado em 2017.

Pelo contrário, se leva em conta a informação dada diretamente pela Venezuela pela qual se observa um leve aumento de 13 mil b/d para 1,050 mb/d.

A grave crise econômica que castiga a Venezuela junto com as sanções dos Estados Unidos sobre sua indústria petrolífera, praticamente a única exportação do país, tiveram um forte impacto na estatal Petróleos da Venezuela (Pdvsa).