EFEBuenos Aires

O mercado reagiu positivamente nesta segunda-feira à derrota do governo argentino nas eleições primárias de domingo, com altas de até 18% nas ações argentinas cotadas em Wall Street antes da abertura da Bolsa de Comércio de Buenos Aires, cujo principal índice abriu em alta de 10,51%, enquanto o risco-país caía 6%.

"A reação do mercado é favorável", informou um relato da administradora de fundos SBS, com os ADRs de ações argentinas subindo quase 18% na pré-abertura. O risco-país, medido pelo banco americano JP Morgan, caía mais de 6%, perfurando os 1.500 pontos, até 1.448.

O índice de referência S&P Merval das principais ações da bolsa de Buenos Aires subia 10,51% na abertura, até 83.878,62 pontos. Esse é o efeito oposto ao que ocorreu após as primárias dos candidatos presidenciais de 2019, quando o mercado antecipou uma vitória do então presidente Mauricio Macri (2015-2019), que acabou sendo derrotado pelo atual mandatário, Alberto Fernández.

No domingo passado, as listas de pré-candidatos a deputados apresentadas pelo governista Frente de Todos foram as mais votadas em apenas sete das 24 jurisdições argentinas, e as de senadores somente foram as mais votadas em duas das oito províncias que elegerão representantes no Senado.

"O resultado foi surpreendentemente satisfatório para o mercado. Esta vitória nas eleições primárias está longe de resolver os problemas nos quais o país está imerso, mas dada a magnitude, oferecerá um bálsamo para as expectativas futuras porque não apenas limitará a força da coalizão governista, mas também abrirá a possibilidade de uma troca de gestão em 2023", diz um relatório da Portfolio Personal Inversiones.