EFEBagdá

As autoridades jordanianas devolveram neste sábado ao Iraque um total de 1.300 artigos arqueológicos que recuperaram ao longo dos últimos anos e cujo saque se remonta a datas posteriores à invasão dos Estados Unidos em 2003.

O primeiro-ministro iraquiano, Adil Abdel-Mahdi, assinou hoje junto ao seu colega jordaniano, Omar al Razaz, o registro de entrega das peças arqueológicas "raras" e que foram recuperadas pela Jordânia, segundo um comunicado do escritório de Abdel-Mahdi.

O chefe do governo iraquiano expressou seu agradecimento ao premiê jordaniano por ter confiscado "estas peças saqueadas e devolvê-las ao Iraque", pois "embora estas peças sejam iraquianas, são propriedade da humanidade e seu retorno é um êxito para o Iraque e a Jordânia".

Ambos os líderes não deram mais detalhes sobre o tipo nem a época dos itens recuperados.

Aproveitando-se da guerra que começou após a invasão americana, ladrões e traficantes saquearam museus e sítios arqueológicos, especialmente o Museu Nacional Iraquiano, e roubaram os registros que continham a descrição completa, assim como o número e o tipo do conteúdo desses sítios.

O Iraque conseguiu recuperar centenas destas peças em cooperação com os governos dos países para onde as relíquias foram transferidas.