EFEKiev

O líder Epifanio foi empossado este domingo na Catedral de Santa Sofia, em Kiev, como chefe da nova Igreja Ortodoxa Ucraniana, em uma cerimônia com a presença de diversas personalidades políticas e religiosas.

Após assumir a recém-criada instituição religiosa, Epifanio, eleito em dezembro do ano passado, disse acreditar que, no futuro, a Igreja Ucraniana obterá o "status de patriarcado". Em seu discurso, ele também pediu a união do clero e dos fiéis ortodoxos no meio de um conflito com a Igreja Russa, que não reconhece a independência da instituição ucraniana.

Epifanio, empossado no dia do seu aniversário de 40 anos, quis passar uma mensagem de paz e garantiu que a Igreja Ucraniana está aberta para a parceria e o diálogo com outras igrejas cristãs presentes na Ucrânia.

Ao término do ato, o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse que as autoridades respeitarão a separação de poderes, conforme a Constituição. Ao mesmo tempo, o "respeito mútuo" que professam o Estado e a Igreja abrem o caminho para o um trabalho conjunto "em benefício do país e do povo", acrescentou.

O patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, líder da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa, assinou em 5 de janeiro o decreto que concede a independência à Igreja Ucraniana após mais de três séculos da vínculos com o Patriarcado de Moscou. No dia seguinte, o decreto foi entregue ao líder da nova igreja, Epifanio, em cerimônia solene que aconteceu em Istambul (Turquia), sede do Patriarcado de Constantinopla.

Com isso, a Igreja Ucraniana, criada em 15 de dezembro, se tornou a 15ª Igreja Ortodoxa Autocéfala do mundo.