EFEToluca (México)

Por recomendação do argentino Gerardo Martino, ex-técnico do Barcelona e atualmente no comando da seleção do México, os proprietários dos clubes mexicanos se comprometeram a reduzir gradualmente o número de jogadores estrangeiros nos elencos a partir da temporada 2020-2021.

Segundo o acordo anunciado nesta terça-feira pela Assembleia de Proprietários, na próxima temporada serão permitidos 11 estrangeiros registrados e nove em campo.

No Torneio Apertura de 2019 do Campeonato Mexicano foram permitidos até 13 estrangeiros - número alcançado pelo Morelia -, dos quais nove podiam jogar. Para a temporada 2021-2022, o limite será reduzido para dez, com um máximo de oito em campo por equipe.

A medida atingirá o auge na temporada 2022-2023, quando nove estrangeiros poderão ser registrados, e apenas sete poderão ir a campo.

Ao fazer um balanço sobre o primeiro ano de trabalho na seleção mexicana, Martino propôs a redução do número de jogadores nascidos fora do país com o argumento de que o talentos mexicanos estavam perdendo oportunidades.

Os clubes decidiram apoiar a seleção, que tentará se classificar para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, e aprovaram a formação de um Comitê do Futebol Feminino para contribuir com o desenvolvimento da modalidade.