EFEVilla Elisa (Paraguai)

O Botafogo se aproveitou do fato de ter jogado com um homem a mais durante dois terços da partida e manteve os 100% de aproveitamento na Copa Sul-Americana ao vencer o Sol de América por 1 a 0 nesta quarta-feira, na cidade paraguaia de Villa Elisa, em jogo de ida pela segunda fase.

O Alvinegro vinha de dois triunfos sobre o badalado Defensa y Justicia, vice-campeão argentino, por 1 a 0 no Rio de Janeiro e 3 a 0 em Buenos Aires, e hoje contou com gol de Erik para chegar à "trinca". O atacante alvinegro já balançou as redes quatro vezes e é o artilheiro da competição.

O jogo no estádio Luis Alfonso Giagni não foi dos mais empolgantes, mas teve um fator determinante para o resultado, a expulsão do atacante Matías Pardo ainda na etapa inicial. Com um a mais, o campeão brasileiro de 1995 dominou o duelo com maior posse de bola (72%) e maior número de finalizações (13 a 10). Nos instantes finais, o volante Jean também recebeu o vermelho, o que, no entanto, não inviabilizou o resultado positivo.

Em busca de uma vaga nas oitavas de final, para enfrentar Atlético-MG ou Unión La Calera, do Chile, o Glorioso jogará pelo empate daqui a uma semana, no Estádio Olímpico Nilton Santos. O Sol de América precisará devolver o 1 a 0 para buscar a classificação nos pênaltis ou vencer por qualquer outro placar para avançar diretamente.

O Botafogo entrou em campo desfalcado do lateral-direito Marcinho, que foi expulso no segundo duelo com o Defensa y Justicia e pegou dois jogos de suspensão, e do atacante Rodrigo Pimpão, que sequer embarcou para o Paraguai, após ter lesionado o tornozelo esquerdo contra o Goiás. Fernando entrou na ala, e Diego Souza atuou mais adiantado, com Leo Valencia entrando no meio.

O jogo começou amarrado e pegado, o que fez com que o árbitro distribuísse cartões desde os primeiros instantes. Na primeira jogada de perigo do Alvinegro, aos 12 minutos de partida, Valencia foi acionado na esquerda e passou para Alex Santana, que foi travado.

Aos 21 minutos, o Sol de América teve grande chance para se aproveitar de uma bobeira da defesa botafoguense e fazer 1 a 0. Alex Santana falhou na saída de bola, Carli tentou afastar com um chutão e carimbou Villagra. Na sobra, Gabriel cometeu pênalti, mas, para sorte da torcida visitante, Clar cobrou no travessão.

Sem aprender a lição, Alex Santana errou novamente aos 25. Quem ficou com o presente foi Díaz, que ficou livre dentro da área, mas parou em linda defesa de Gatito Fernández.

A situação do time carioca melhor aos 31 minutos, quando Pardo cometeu falta dura em Fernando e foi expulso. O atacante havia visto o amarelo logo aos três do primeiro tempo. Ainda antes do intervalo, aos 47, em bonita linha de passes, Cícero colocou Diego Souza na cara do gol, mas desta vez foi o goleiro Escobar quem fez grande intervenção e manteve o placar em branco.

Com um a mais, os visitantes atacaram mais na segunda etapa e incomodaram duas vezes seguidas com Alex Santana. Aos oito minutos, o volante recebeu de Erik e foi travado na hora do arremate. Aos dez, ele cruzou na medida para Diego Souza cabecear, mas Clar salvou em cima da linha.

Eduardo Barroca então apostou nas entradas de Gustavo Bochecha e Luiz Fernando, e a ideia deu certo. Cada vez mais presente no campo de ataque, o Alvinegro enfim fez 1 a 0 aos 27 minutos, com Erik, que aproveitou que o goleiro saiu mal depois do cruzamento da esquerda e empurrou para a rede.

O segundo quase aconteceu aos 36, em mais um lançamento da ponta para a área. Diego Souza concluiu, a bola resvalou na zaga e foi para fora a centímetros da trave.

Com uma participação relâmpago no jogo, Jean esteve a ponto de colocar tudo a perder. O volante substituiu Leo Valencia aos 38 e foi expulso dois minutos depois por acertar o braço no rosto de Villagra. No dez contra dez, o Sol de América até pressionou, mas não levou perigo a Gatito.

Ficha técnica:.

Sol de América: Escobar; Velázquez (Acuña), Villalba, Portillo e Clar; Ferreira, Fredes (Franco), Díaz (Otazú) e Jourdan; Villagra e Pardo. Técnico: Javier Sanguinetti.

Botafogo: Gatito Fernández; Fernando, Carli, Gabriel e Gilson; Alex Santana, João Paulo (Gustavo Bochecha), Cícero (Luiz Fernando) e Leo Valencia (Jean); Erik e Diego Souza. Técnico: Eduardo Barroca.

Árbitro: Germán Delfino (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Lucas Germanotta e Pablo González.

Cartões amarelos: Pardo e Villalba (Sol de América); Fernando e Cícero (Botafogo).

Cartões vermelhos: Pardo (Sol de América); Jean (Botafogo).

Gol: Erik (Botafogo).

Estádio: Luis Alfonso Giagni, em Villa Elisa (Paraguai).