EFESão Paulo

Em partida dramárica e com polêmicas na arbitragem, o Corinthians foi eliminado da Taça Libertadores nesta quarta-feira, ao vencer o Guaraní por 2 a 1 em casa, resultado que igualou o placar agregado após ter perdido o jogo de ida por 1 a 0, mas que deu a vaga ao time paraguaio devido ao gol marcado como visitante.

Apesar da necessidade de fazer dois gols para avançar à terceira fase do torneio continental, o jogo começou bem para o Timão, que abriu o placar com Luan. Nem mesmo a expulsão de Pedrinho, ainda no primeiro tempo complicou a vida da equipe, que ampliou pouco depois, com Boselli. No entanto, o gol sofrido no início da segunda etapa pôs fogo no jogo e acabou com as esperanças corintianas.

Com o resultado, o Guaraní terá como adversário o Palestino, do Chile, na próxima fase da Libertadores. O time que vencer o duelo estará classificado para a fase de grupos.

Na Arena Corinthians, a equipe da casa, pressionada após a derrota na ida, partiu para cima nos minutos iniciais. Em boa jogada individual logo aos oito minutos do primeiro tempo, Luan passou pela marcação contornando a área e abriu o placar em chute de perna esquerda no canto do goleiro adversário.

Pedrinho, que já havia recebido um cartão amarelo por falta no primeiro minuto de jogo, levou o segundo aos 28, após errar uma bicicleta e acertar o rosto do marcador, e foi expulso precocemente.

Mesmo com um a menos em campo, o Corinthians conseguiu deixar o cenário favorável ao marcar o segundo, aos 31. Em grande jogada na área, Vágner Love driblou a zaga e cruzou rasteiro para Boselli, que apenas empurrou para o fundo do gol, construindo um resultado que classificaria o Timão.

Antes do intervalo, Fágner ainda acertou o travessão do Guaraní, mas a vantagem real durou apenas até os sete minutos do segundo tempo, quando Fernández cobrou falta no canto de Cássio e descontou. Aos 40, o zagueiro Romaña levou o segundo cartão amarelo. O Corinthians partiu para o sufoco, mas ficou a um gol da classificação. EFE

vnm/rd