Buenos Aires, 19 set (EFE) -. O Atlético-MG perdeu por 2 a 1 nesta quinta-feira, de virada, para o Colón, em Santa Fé, na Argentina, no jogo de ida das semifinais da Copa Sul-Americana.

O Galo saiu na frente do placar no primeiro tempo, em um gol inusitado de Chará, que viu corte feito pela zaga argentina desviar em seu pé e morrer no fundo da rede, mas sofreu a virada no segundo tempo.

Os donos da casa chegaram ao empate aos 6 minutos, quando, depois de escanteio, Escobar desviou na primeira trave, e Morelo apareceu nas costas da zaga para completar de carrinho para o gol. O gol da vitória do Colón veio faltando cinco minutos para o fim. Zuqui cruzou rasteiro da direita para Rodríguez, que recebeu livre na pequena área e bateu para marcar.

Apesar de ruim, o resultado deixa o Atlético a uma vitória simples da classificação para a final. Basta vencer o adversário por 1 a 0 no jogo da volta, que será disputado na próxima quinta-feira, no Mineirão, para se garantir na grande decisão. O Colón, por sua vez, terá a vantagem do empate.

Quem avançar enfrenta vencedor do duelo entre Independiente del Valle, realizado na véspera, na altitude de Quito. Ontem, o time equatoriano surpreendeu o Timão em São Paulo e venceu por 2 a 0.

Os dois times entraram em campo com uma postura bastante cautelosa. Mesmo jogando com o apoio da torcida, o Colón decidiu não fazer valer o fator-casa para pressionar o Atlético, que estava mais do que satisfeito com o ritmo lento imposto pelos anfitriões.

A prudência era tamanha que o primeiro tempo terminou sem chutes a gol. Mas o Galo conseguiu sair na frente do placar em um lance inusitado e de muita sorte aos 35 minutos.

Elias tentou passe de calcanhar para Chará na entrada da área, mas errou o alvo. Ainda assim, a sobra sobraria para o adversário. Estigarribia deu um chutão para cortar. A bola bateu em Chará e morreu no fundo do gol. Burián, que não esperava a ação do companheiro, só olhou.

O segundo tempo começou bastante diferente. Em cinco minutos, as duas equipes fizeram o que não haviam conseguido fazer na etapa inicial. O Colón assustou primeiro, em cobrança de falta de Luis Rodríguez, defendida por Cleiton. O Galo respondeu em seguida. Di Santo escorou para Elias, que pegou de primeira de fora da área. Burián encaixou.

O empate veio na sequência, aos 6 minutos. Depois de escanteio cruzado pela direita, Escobar desviou na pequena área, na direção do gol. Morelo apareceu nas costas da zaga e se esticou para completar de carrinho para o fundo da rede.

O gol do Colón esquentou o duelo, e a torcida no Brigadier General Estanislao López. Os donos da casa foram aumentando a pressão sobre o clube brasileiro, que, apesar das dificuldades de atacar, conseguiu conter o ímpeto dos argentinos.

Com o jogo mais uma vez equilibrado, o Galo voltou a ameaçar. Aos 20 minutos, depois de cruzamento na área, a defesa do Colón cortou mal. Vinícius pegou de primeira e acertou o canto. Burián se esticou e espalmou para o lado, afastando o perigo.

Otero, que entrou no lugar de Cazares, quase marcou um golaço aos 31. Em cobrança de escanteio pela esquerda, o venezuelano tentou a cobrança direta. O chute teve direção, batendo na rede ao lado do gol. Burián, porém, acompanhava o lance.

Faltando dez minutos para o fim, o técnico Pablo Lavellén resolveu arriscar e sacou o lateral-esquerdo Escobar de campo para a entrada de Bernardi. Estigarribia, até então no meio, foi deslocado para ala.

A mudança ofensiva deu resultado aos 40. Estigarribia, já no novo posicionamento, levantou na área. Zuqui dominou após corte errado da zaga do Atlético e encontrou Rodríguez, livre entre os zagueiros, para virar o jogo.

Ficha técnica:.

Colón: Burián; Vigo, Ortiz, Emanuel Oliveira e Escobar (Bernardi); Aliendro, Lértora, Zuqui e Estigarribia; Luis Rodríguez (Chancalay) e Morelo. Técnico: Pablo Lavallén.

Atlético-MG: Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison, Elias, Vinícius (Nathan), Chará e Cazares (Otero); Di Santo (Alerrandro). Técnico: Rodrigo Santana.

Árbitro: Alexis Herrera (Venezuela), auxiliado pelos compatriotas Carlos López e Luis Murillo.

Cartões Amarelos: Di Santo (Atlético-MG); Vigo (Colón).

Gols: Morelo e Rodríguez (Colón); Chará (Atlético-MG).

Estádio: Brigadier General Estanislao López, em Santa Fé (Argentina).