EFEPequim

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim confirmou nesta segunda-feira que não venderá ingressos ao público estrangeiro, e que somente "espectadores designados" que cumprirem as "exigências das medidas de prevenção da pandemia" de covid-19 poderão assistir às competições.

A decisão do comitê, que não deu detalhes sobre quem seriam os "espectadores designados", foi baseada na "proteção da saúde e segurança de trabalhadores e do público", disse a entidade em comunicado.

Os organizadores já haviam declarado em setembro do ano passado que nenhum ingresso seria vendido a espectadores de fora da China, de acordo com a rígida política de "covid zero" implementada pelo país, que mantém suas fronteiras praticamente fechadas.

No último fim de semana, a capital chinesa registrou seu primeiro caso da variante ômicron, contra a qual cidades próximas, como Tianjin, já estão lutando por meio da adoção de confinamento total ou seletivo.

Para evitar surtos, Pequim implementou controles de acesso: somente pessoas com um PCR negativo podem entrar na cidade, e as partes da China onde foram detectados casos podem ter suas ligações de transporte para a capital canceladas.

Os Jogos, que começam em 4 de fevereiro, serão realizados sob rigorosas medidas de prevenção anti-covid: atletas, jornalistas e trabalhadores do exterior permanecerão em uma "bolha", isolados da população local durante toda sua estada no país asiático. EFE