EFEMontevidéu

No duelo entre os dois últimos campeões da Taça Libertadores e protagonistas de uma acirrada rivalidade que cresceu nos últimos anos, o Palmeiras venceu neste sábado o Flamengo por 2 a 1, na prorrogação, e conquistou o título continental pela terceira vez na história.

Em partida disputada no Estádio Centenário, em Montevidéu, escolhido pela Conmebol para sediar o jogo único da decisão, o Verdão repetiu o que já havia feito em 1999 e no ano passado, quando também subiu no degrau mais alto do futebol sul-americano.

Como no ano passado, quando Breno Lopes foi o herói improvável da conquista, marcando o gol da vitória sobre o Santos, o Palmeiras voltou a recorrer a um jogador contestado e que conta com status de reserva para fazer o gol que valeu a taça.

O atacante Deyverson, que entrou em campo no fim do tempo normal e início da prorrogação, balançou a rede cinco minutos depois. Antes, o meia Raphael Veiga havia marcado para a equipe paulista, e Gabigol balançou a rede para o Flamengo.

Campeão continental pela terceira vez na história, o Palestra, como é carinhosamente chamado pelo torcedor, voltará a disputar o Campeonato Mundial de Clubes da Fifa, que será disputado nos Emirados Árabes, provavelmente, em fevereiro.

Nesta segunda-feira, a equipe paulista participará do sorteio das chaves eliminatórias do torneio, que já tem garantidas as presenças de Chelsea (Inglaterra), Monterrey (México), Al Hilal (Arábia Saudita), Al Ahly (Egito), Auckland City (Nova Zelândia) e Al Jazira, que representa o país-sede.

OS GOLS.

O detentor do troféu começou a partida com muita disposição e volume de jogo e abriu o placar logo aos 5 minutos do primeiro tempo, quando Mayke foi até a linha de fundo e rolou para Raphael Veiga encher o pé estufar as redes.

Na etapa complementar, o Rubro-Negro, vencedor do torneio em 2019, conseguiu equilibrar o jogo e ameaçar mais o adversário. Após perder algumas chances claras ao longo dos 90 minutos, Gabigol mostrou o habitual poder de decisão aos 27 e empatou.

Com isso, o tira-teima entre os dois últimos campeões foi para a prorrogação, que teve muito mais momentos de emoção dos que os tempos-extras de jogos decisivos, deixando claro a fome de vitória das duas equipes.

Aos 5 minutos do primeiro tempo, Deyverson, que havia entrado em campo após o fim do período regulamentar da partida, se aproveitou de cochilo do meia Andreas Pereira e, ao ficar cara a cara com Diego Alves, mostrou frieza para anotar o segundo do Palmeiras.

Contra um adversário fechado na defesa, o Flamengo até tentou buscar o gol de empate, em chances criadas por Kenedy e Pedro, ambos que tinham saído do banco, mas não teve sucesso e viu o adversário voltar a comemorar o título da Libertadores. EFE

bg/rd