EFERoma

Apresentado nesta sexta-feira como reforço para a defesa da Juventus, o zagueiro holandês Matthijs De Ligt enalteceu o esforço feito pelo clube italiano para contratá-lo e se disse desafiado pela tradição italiana de revelar grandes defensores.

"A Itália é conhecida por ser a terra da defesa, e para mim é um desafio. A Juventus me passou confiança, mostrou que realmente me queria, e estou orgulhoso por estar aqui. Houve muitos fatores, mas no fim das contas as sensações fizeram a diferença", afirmou De Ligt na entrevista coletiva de apresentação, em Turim.

De Ligt, de 19 anos, chegou à Juventus por 85,5 milhões de euro depois de ter sido capitão do Ajax na última temporada, em que a equipe de Amsterdã foi campeã holandesa e da Copa da Holanda, além de ter chegado às semifinais da Liga dos Campeões depois de ter eliminado a própria Juve.

"É um grande passo, o primeiro passo fora do meu país. No início, vou ter que me habituar. Estou orgulhoso com a forma como os torcedores me receberam, e espero lhes devolver o carinho", disse o defensor.

De Ligt também foi titular da Holanda na Liga das Nações, de que a 'Oranje' foi vice-campeã ao ser derrotada por Portugal, de Cristiano Ronaldo, na decisão. Na ocasião, o astro português o chamou para defender a 'Velha Senhora'.

"Nesse momento, estava pensando em para onde ir nesta temporada. Tinha uma ideia, mas quis decidir depois da Liga das Nações, de ter umas férias e aí sim ir para um novo clube. Nesse momento (final contra Portugal), já estava quase certo, mas é muito bom que um jogador como Cristiano me pergunte se quero meu juntar à Juventus", destacou.

Para superar a concorrência do Barcelona e do Paris Saint-Germain, a Juve pagou 85,5 milhões ao Ajax e ofereceu a De Ligt um contrato de cerca de 12 milhões de euro líquidos anuais. A pressão dos valores não incomoda o jovem jogador.

"A pressão é normal. Quando um clube paga muito dinheiro por você, você tem muita pressão. Mas se você quer ser um grande jogador, precisa lidar com isso. Para mim, não é grande coisa, não é um problema. Quero mostrar o meu valor em campo", afirmou o zagueiro, que jogará com a camisa 4, pela qual revelou ter grande carinho.

"Na base do Ajax, sempre tive o número 4, e também na equipe principal. Na Juventus, a camisa estava livre, e ouvi boas histórias sobre (o uruguaio) Paolo Montero. Estou orgulhoso por usar o número 4 e espero fazer grandes coisas aqui", declarou.

O holandês revelou ter outro ex-jogador 'bianconero' como grande ídolo, o ex-zagueiro Fabio Cannavaro, melhor do mundo em 2006, quando ajudou a Itália a se sagrar tetracampeã mundial.

"Por ser zagueiro e por ter 6 ou 7 anos em 2006, admirava Cannavaro. Em 2006, ganhou a Copa do Mundo e a Bola de Ouro. Nesse momento, eu era um grande fã dele. E era torcedor da Juventus quando era pequeno", relatou De Ligt, que quer ser campeão de tudo pela 'Velha Senhora'.

"Há três competições, o Campeonato Italiano, a Copa da Itália e a Liga dos Campeões. São quatro, se acrescentarmos a Supercopa da Itália. Queremos ganhar tudo. Um clube como a Juventus sempre quer ganhar tudo, e isso não mudará neste ano", prometeu.