EFERoma

A Juventus demitiu neste sábado o técnico Maurizio Sarri, após a eliminação da equipe de Turim das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa ontem para o Lyon.

"A Juventus anuncia que Maurizio Sarri foi demitido como treinador da equipe principal. O clube deseja agradecer ao treinador por ter escrito uma nova página na história da equipe com a vitória do nono título consecutivo, que coroou um percurso pessoal que o conduziu escalar todas as categorias do futebol italiano", diz o comunicado oficial divulgado pela Juventus.

Sarri, que veio para a Juventus no início da temporada 2019 para substituir Massimiliano Allegri, pentacampeão da Itália e tetracampeão da Copa da Itália, tinha contrato válido até 2022.

O fracasso na Champions foi a gota d'água que fez com que a direção da Juve trocasse a comissão técnica, após uma temporada que terminou com o nono título consecutivo, mas também com derrotas na final da Copa da Itália e na Supercopa da Itália.

Contratado para liderar uma mudança de filosofia na Juventus e apostar em um jogo mais atraente, Sarri não conseguiu transmitir suas ideias táticas aos jogadores e seu time perdeu força defensiva, sem brilhar em termos de atuação.

O treinador já havia dado sinais de tensão às vésperas do confronto com o Lyon, quando considerou as perguntas sobre seu futuro um "insulto a uma diretoria de alto nível e não de torcedores, que não toma decisões com base em um único jogo".

O argentino Mauricio Pochettino, que está livre após ter sido demitido pelo Tottenham, Simone Inzaghi, técnico da Lazio, e ainda o francês Zinedine Zidane, técnico do Real Madrid, são alguns dos nomes que circulam na imprensa italiana como possíveis substitutos de Sarri.