EFEParis

O argentino Lionel Messi, atualmente no Paris Saint-Germain, conquistou pela sétima vez na carreira o prêmio Bola de Ouro, organizado pela revista "France Football", em cerimônia de gala realizada nesta segunda-feira no Théatre du Chatelet, em Paris.

Messi, que no meio do ano trocou o Barcelona pelo PSG, era o último vencedor da honraria, que não foi entregue em 2020 devido à pandemia da Covid-19. O argentino já havia ficado com o troféu em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019 e neste ano foi campeão da Copa do Rei, ainda pelo Barça, e da Copa América, o que tirou a seleção argentina de uma fila de 28 anos.

Foi a primeira vez que um jogador do PSG venceu o prêmio e a primeira de um jogador do Campeonato Francês desde Jean-Pierre Pappin, então no Olympique de Marselha, em 1991.

A segunda posição na Bola de Ouro foi do polonês Robert Lewandowski, que joga no Bayern de Munique e é o atual detentor do The Best, o prêmio de melhor do mundo da Fifa. Campeão europeu tanto de clubes, pelo Chelsea, quanto de seleções, pela Itália, o meia brasileiro naturalizado Jorginho foi o terceiro colocado.

Completaram o top 10, da quarta à décima posições, respectivamente, os franceses Karim Benzema e N'Golo Kanté, o português Cristiano Ronaldo, que ficou fora do pódio pela primeira vez desde 2010, o egípcio Mohammed Salah, o belga Kevin De Bruyne, o também francês Kylian Mbappé e o italiano Gianluigi Donnarumma.

No feminino e no Troféu Kopa, para melhor jogador sub-21, as vitórias foram da Espanha e do Barcelona, com Alexia Putellas e Pedri. As Bolas de Ouro foram levadas até o Théatre du Chatelet em carros esportivos da fabricante francesa Alpine pelos pilotos de Fórmula 1 Fernando Alonso, bicampeão mundial da categoria, e Esteban Ocon. EFE