EFELondres

O técnico José Mourinho foi demitido nesta terça-feira do Manchester United depois de dois anos e meio no cargo e após um começo ruim de temporada que culminou com a derrota diante do Liverpool no último final de semana.

Em um breve comunicado, o clube do norte da Inglaterra agradeceu o trabalho de Mourinho e expressou desejos de "sucesso" para seu futuro.

Mourinho, de 55 anos, conquistou uma Liga Europa e uma Copa da Liga na sua primeira temporada com os Red Devils, mas já na segunda passou em branco, sendo vice-campeão do Campeonato Inglês, a 19 pontos do líder.

Este ano começou ainda pior para a equipe, sendo já descartada da luta pelo título nas primeiras rodadas. O clube de Manchester ocupa atualmente a sexta posição na tabela do Inglês, a 19 pontos do Liverpool, com apenas 17 rodadas disputadas, e a 11 da zona de classificação para a Liga dos Campeões.

Nas competições internacionais, o Manchester United conseguiu se sair melhor, ao se classificar para as oitavas de final da Liga dos Campeões como segundo do grupo atrás da Juventus, equipe que conseguiu vencer no jogo em Turim.

No entanto, a má impressão passada em Old Trafford diante dos italianos, além dos maus resultados colhidos contra Young Boys e Valencia - os outros rivais do grupo -, fizeram com que os ingleses passassem apuros para continuar na disputa.

Além disso, o cruzamento das oitavos comprometeu notavelmente o futuro do United na principal competição continental, já que terá que enfrentar o Paris Saint-Germain, um dos favoritos da Champions.

A tudo isso se soma a eliminação na Copa da Liga, onde a equipe foi surpreendida pelo Derby County, da Segunda divisão, e superada na disputa de pênaltis em pleno Old Trafford.

A união entre Mourinho e o United foi tormentosa nos últimos meses e se intensificou pela má relação do português com o vestiário e com a direção do clube.

As divergências entre o treinador e o vice-presidente executivo do clube, Ed Woodward, se multiplicaram e Mourinho não duvidou em criticar a política de contratações, criticando a falta de dinheiro para atrair jogadores e a baixa qualidade das contratações.

Em nível interno, Mourinho iniciou uma 'guerra' com alguns dos pesos pesados do vestiário, como com o francês Paul Pogba, a quem deixou fora da escalação nas últimas partidas importantes.

Sem ainda um candidato para ocupar permanentemente o comando do Manchester United, a imprensa inglesa especula que Michael Carrick, que deixou os gramados no ano passado, poderia assumir os trabalhos como interino até que o clube encontre um substituto para Mourinho.