EFEGenebra

O Ministério Público da Suíça divulgou nesta quinta-feira a abertura de uma investigação contra o ex-secretário-geral da Fifa, o suíço Jérôme Valcke, o presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, e mais um empresário, por supostos crimes de corrupção, fraude e gestão desleal.

Os casos são referentes a negociações pela venda de direitos de televisão de edições da Copa do Mundo de futebol.

A investigação criminal foi aberta em 20 de março deste ano, mas a promotoria suíça não divulgou o dia em que Valcke e os outros envolvidos foram interrogados.

O texto do Ministério Públic cita os nomes de Valcke e de Al-Khelaifi, na condição de diretor do BeIn Media Group LLC. Além disso, o terceiro envolvido, "um homem de negócios ativos na área de direitos esportivos", que não teve o nome revelado.

O ex-secretário-geral da Fifa é suspeito de ter aceitado subornos do indíviduo não identificado, durante a definição da venda dos direitos para as Copas de 2018, 2022, 2026 e 2030. A

Al-Khelaifi, por sua vez, teria relação com propinas envolvendo as negociações referentes aos Mundiais de 2026 e 2030.

A promotoria lembrou ainda que existe outra investigação aberta contra Valcke, e que elementos descobertos durante este inquérito, permitiram a abertura de um segundo procedimento contra o dirigente.