EFEParis

Após uma temporada de saibro que deixou algumas dúvidas nos torcedores e na imprensa especializada, o espanhol Rafael Nadal deu poucas chances aos adversários e neste domingo conquistou o 12º título de Roland Garros da carreira ao vencer o austríaco Dominic Thiem, mesmo adversário da final de 2018.

Se no ano passado Nadal levou a melhor em três sets, Thiem desta vez até conseguiu deixar a partida mais equilibrada nas duas primeiras parciais, mas perdeu por 3 a 1, com parciais de 6-3, 5-7, 6-1 e 6-1, em três horas e um minuto de jogo.

O ano de 2019 foi aquele em que Nadal mais demorou a obter um título desde 2005. No saibro, caiu nas semifinais em Monte Carlo, em Barcelona, onde inclusive perdeu para o adversário de hoje, e em Madri, até enfim triunfar em Roma.

Em Roland Garros, ele reinou mais uma vez. Com 93 vitórias e apenas duas derrotas no saibro parisiense, o 'Touro Miúra' é quem mais disputou a mesma final de Grand Slam, com 12, uma a mais que o suíço Roger Federer em Wimbledon (7-4). E é, além disso, quem obteve mais vezes o troféu de uma mesma competição em todo o circuito masculino.

De quebra, Nadal voltou a reacender a disputa como mais campeão de 'majors' na história, chegando a 18 conquistas, duas a menos que Federer. Pouco atrás dos dois, aparece o sérvio Novak Djokovic, que vinha de levar a melhor nos três Slams anteriores - Wimbledon 2018, US Open 2018 e Aberto da Austrália 2019 - e foi a 15, mas perdeu para Thiem nas semifinais em Roland Garros.

O começo de jogo foi de pouca intensidade dos dois lados, principalmente por parte de Nadal, número 2 do mundo, que teve o saque quebrado no quinto game. Depois disso, porém, o que se viu foi uma grande reação do espanhol, que levou a melhor nos quatro games seguintes e fechou o primeiro set em 6-3.

A segunda parcial foi a mais equilibrada. Os dois tenistas foram bastante sólidos no serviço e não enfrentaram um break point sequer nos 11 primeiros games. Quando tudo apontava para a realização de um tie-break, Nadal sacou mal, e Thiem, quarto colocado do ranking da ATP, fechou em 7-5, empatando a decisão.

Quem esperava que o austríaco se encheria de moral na tentativa de impor ao 'Rei do Saibro' sua primeira derrota em finais no saibro parisiense, se enganou. O atual campeão do Masters 1000 de Indian Wells diminuiu o ritmo e foi "atropelado" pelo adversário, que venceu o terceiro set por 6-1, com três quebras de saque.

A quarta e última parcial começou com uma porta aberta para Thiem, que teve um break point logo no game inicial, mas não o converteu. Mais eficiente, Nadal abriu 3-0 e depois se manteve sólido para ganhar por 6-1 e se sagrar duodecacampeão no saibro de Paris. EFE

ism/dr