EFERedação Central

De volta ao Paris Saint-Germain após quatro meses, o atacante Neymar admitiu neste sábado que fez todo o esforço possível para deixar o clube no mês passado e que foi impedido de realizar o próprio desejo, mas garantiu que manterá o foco na equipe francesa na atual temporada.

"Fiz o possível para deixar o clube, mas infelizmente não deixaram. Tudo isso já passou. Agora só penso no PSG", declarou o camisa 10 após a vitória sobre o Strasbourg por 1 a 0, no Parc des Princes, em jogo válido pela quinta rodada do Campeonato Francês e decidido com um gol de voleio do craque brasileiro.

Neymar não jogava pelo PSG desde 11 de maio. Desde então, cumpriu suspensão, se lesionou e se esforçou para deixar o clube. Entre sondagens e propostas oficiais, Barcelona, Real Madrid e Juventus, entre outros, foram apontados como possíveis destinos, mas a diretoria preferiu não liberá-lo.

"Todos sabem que queria sair, deixei isso muito claro. Agora, continuou como jogador do Paris Saint-Germain, e o que quero é ser feliz dentro e fora do campo", destacou o atacante, que advertiu que não voltará a falar sobre esse assunto.

"Não tenho nada contra o clube, queria sair por motivos pessoais. Agora eu continuo, estou aqui e vou dar tudo de mim para ajudar o time. Vou jogar como sei jogar", completou.

Por fim, Neymar falou sobre a relação com a torcida, que exibiu faixas e cartazes hostilizando-o, além de tê-lo xingado durante praticamente toda a partida de hoje.

"Entendo os torcedores, foi difícil para eles. Quando jogar em casa, será como jogar fora. Estou acostumado a ser vaiado ao longo da minha carreira. Mas os mesmos que vaiam, aplaudem. Eles me vaiaram, mas depois que fiz o gol tiveram que comemorar. Não preciso que gritem meu nome, o importante é o time vencer", considerou.