EFEParis

O jornal francês "Le Parisien", baseado em fontes no Paris Saint-Germain, publicou nesta quinta-feira que Neymar e a diretoria do clube estão de acordo com a saída do atacante, embora a dificuldade em conseguir um interessado na contratação surja como impasse.

O veículo de imprensa destaca que existem poucos grandes clubes europeus com capacidade financeira e interesse esportivo de adquirir um jogador com salário anual líquido de 35 milhões de euros (R$ 191,6 milhões) e 30 anos de idade.

Ainda segundo o "Le Parisien", embora tenha incluído Neymar na divulgação do novo uniforme, junto com Lionel Messi, Kylian Mbappé, e Marquinhos, a diretoria do PSG não conta com Neymar para a equipe principal nos planos para a temporada 2022-2023.

Recentemente, em entrevista, o presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi afirmou que a nova era do clube teria Mbappé como símbolo e, sob a gestão do diretor-esportivo Luis Campos, não haveria espaço para "ostentação e purpurinas".

De acordo com o "Le Parisien", Neymar e seu 'staff', liderado pelo pai, entenderam o recado e ficaram desapontados.

Atualmente, o brasileiro está sem defensores no Paris Saint-Germain, especialmente, depois da saída de Leonardo da direção esportiva do clube e do adeus de jogadores como o argentino Ángel Di María.

Diante da provável venda de Leandro Paredes, que está entre os colocados como disponíveis pela diretoria, Messi é um dos poucos amigos de Neymar no elenco.

Além disso, relação do atacante da seleção com Mbappé - ainda de acordo com a apuração do "Le Parisien" - esfriou, já que o francês desaprova alguns privilégios do brasileiro, que perdeu parte dos jogos da última temporada por lesão.

Recentemente, o Chelsea surgiu como um possível interessado por Neymar. O zagueiro Thiago Silva já se manifestou em defesa da contratação, embora a diretoria do clube inglês não tenha oficializado interesse.

O jornal francês "L'Équipe", por sua vez, indica os 'Blues', que são treinados pelo alemão Thomas Tuchel, ex-PSG, seriam uma alternativa que interessa Neymar como projeto esportivo. EFE