EFELisboa

O Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (Insa), em Portugal, confirmou nesta segunda-feira a detecção de três casos de covid-19 devido à variante ômicron, após as respectivas análises.

São 13 jogadores da equipe do Belenenses, da primeira divisão portuguesa, confirmaram hoje à Agência Efe fontes do Insa.

Acontece que o jogador sul-africano Cafú Phete, que faz parte do elenco do Belenenses, voltou para Portugal no último dia 22, após defender a seleção nacional em duas partidas.

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde, as amostras dos 13 jogadores foram analisadas ontem, uma vez que Phete, que tinha acabado de retornar a Portugal, estava entre os que tiveram diagnósticos positivos para covid-19.

Nos primeiros resultados obtidos há indícios claros de que os 13 casos estão "relacionados com a variante ômicron".

Porém, para que haja evidências científicas completas, nas próximas horas as amostras serão "sequenciadas" para garantir 100% que se trata desta variante, explicaram fontes do Insa à Efe.

Como medida de saúde, todos os jogadores foram isolados em quarentena, assim como as pessoas que tiveram contato com eles.

Nas últimas horas, conforme comunicado à Efe pelo próprio clube, foram detectados no plantel um total de 17 positivos: 13 jogadores, o treinador e seu assistente e dois outros membros da comissão técnica.

Apesar do surto, o jogo do Campeonato Português, programado para o último sábado, contra o Benfica, ocorreu normalmente, uma vez que nem a Liga ou as autoridades sanitárias decidiram pela sua suspensão.

Devido ao elevado número de casos de covid-19, a equipe entrou em campo com apenas nove titulares e após o intervalo o jogo foi suspenso, pois o Belenenses tinha apenas seis jogadores em campo.

A realização desta partida gerou uma grande polêmica em Portugal, já que a Liga pretende realizar hoje reuniões com diversas entidades para esclarecer o ocorrido. EFE