Gianni Infantino, presidente da Fifa, garantiu nesta sexta-feira que a Copa do Mundo da Rússia foi "a melhor da história".

No início da entrevista coletiva na qual fez um balanço do torneio, Infantino afirmou: "Há dois anos, já havia dito que esta seria a melhor Copa do Mundo, e hoje posso garantir. Foi a melhor Copa do Mundo e agradeço a todos os que estiveram envolvidos nisso, aos torcedores e às 32 equipes", disse o dirigente no começo de seu pronunciamento.

Infantino assinalou que foi uma Copa do Mundo "fantástica e incrível", destacou o clima de paixão vivenciado nas arquibancadas e agradeceu à Rússia e ao comitê organizador a perfeita implementação do torneio e as infraestruturas que foram colocadas à disposição do Mundial.

"O mais importante é que em todo o momento se falou de futebol. Quando comecei o meu mandato, disse que queria trazer o futebol para a Fifa e aproximar a Fifa do futebol, e isso foi conseguido nesta Copa do Mundo", destacou o presidente da entidade máxima do futebol.

Infantino louvou o fato de a Copa ter ajudado a mudar a percepção que o mundo tem da Rússia.

"A Rússia mudou. Se transformou em um país de futebol. O desempenho de sua seleção ajudou, mas também ficam as infraestruturas, belas e eficientes, que colocam a Rússia entre os principais países do futebol. Eles investiram no futuro", destacou Infantino.

"Além disso, a percepção do mundo em relação à Rússia mudou. Milhares de pessoas estiveram por toda a Rússia. Descobriram um belo país, extremamente rico em cultura e história. Foi uma grande aventura para os torcedores. E, desde o início até o final, foi criada uma grande atmosfera de amizade entre as torcidas", acrescentou o dirigente.

Infantino justificou suas declarações ao afirmar que houve "90% de ocupação nos estádios, 7 milhões de torcedores passaram pela 'Fan Fest', foram batidos recordes de visitas aos sites do torneio, o VAR foi um grande, grande sucesso e não houve nenhum caso positivo de doping".

"Sei do que falo, porque este foi o meu trabalho. Estive na organização da Champions e de muitos outros torneios e nunca vi este nível de excelência", concluiu Infantino.