EFEMadri

O presidente da liga que organiza o Campeonato Espanhol, Javier Tebas, explicou nesta segunda-feira porque o Real Madrid recebeu autorização para mandar os jogos no estádio Alfredo Di Stéfano, dentro do centro de treinamento do clube, e não no estádio Santiago Bernabéu.

"Representaria adiantar a conclusão das obras no estádio, que vão custar mais de 500 milhões de euros. Para que conseguissem adiantar um ano e começar a explorar o novo estádio que será construído", explicou o dirigente, durante o fórum virtual WFS Live, que tem entre os organizadores o ex-atacante Ronaldo.

"Esse risco valia a pena, o Real Madrid pediu e foi concedido", completou Tebas, durante a conferência de abertura do evento.

Segundo o presidente da La Liga, em um momento de "máxima crise", como a gerada pela pandemia da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, a entidade buscou diminuir os prejuízos econômicos dos clubes, por isso, permitiu o uso do Alfredo Di Stéfano, assim como do estádio Camilo Cano, dentro do CT do Levante.

"Com portões fechados e com a realidade virtual que fizemos, Valdebebas está sendo um campo muito bom para o Real Madrid", disse Tebas, em referência ao local onde está o centro de treinamento do clube que lidera a competição.