EFEJidá (Arábia Saudita)

Após um empate sem gols no tempo regulamentar e uma prorrogação emocionante, o Real Madrid venceu o Atlético de Madrid por 4 a 1 na disputa de pênaltis e conquistou a Supercopa da Espanha neste domingo em Jidá, na Arábia Saudita.

As equipes criaram poucas chances de gol ao longo dos 90 minutos iniciais. Com o placar zerado, o duelo foi para a prorrogação, e Zinedine Zidane decidiu aumentar a ofensividade da equipe com as entradas de Rodrygo, Vinícius Jr e Mariano Díaz. Já Diego Simeone optou por deixar o time mais compacto, inclusive tirando João Félix.

O grande momento da partida ocorreu aos 10 minutos do segundo tempo da prorrogação, quando o Atlético encaixou ótimo contra-ataque enquanto o Real dominava. Após boa troca de passes no meio de campo, Álvaro Morata foi lançado em velocidade e, na entrada da área, acabou sendo derrubado por trás por Federico Valverde, que recebeu o cartão vermelho direto.

Jan Oblak já havia salvado o Atlético minutos antes da expulsão, e Thibaut Courtois teve que fazer grandes defesas para garantir o Real na disputa de pênaltis.

Nas cobranças, Carvajal, Rodrygo, Modric e Sergio Ramos marcaram para o Real. Pelo Atlético, apenas Trippier marcou, na terceira cobrança. Antes, Saúl acertou a trave e Thomas Partey teve a batida defendida por Courtois.

Apesar da expulsão, Valverde foi eleito o melhor jogador da final. Este é o 11º título da Supercopa da Espanha para o Real Madrid e o segundo para Zidane como técnico. EFE

vnm/rd