EFERoma

O ex-jogador italiano Roberto Baggio, que perdeu o pênalti decisivo na final da Copa do Mundo de 1994, em que o Brasil foi campeão, fez uma revelação dramática durante evento realizado nesta segunda-feira, sobre a primeira grave lesão sofrida no joelho direito, em 1985.

"Nessa hora, peço para minha mãe que ela me mate. Eu digo: 'mãe, se quiser, me mate'", contou o antigo meia, durante um seminário realizado pelo jornal "Gazzetta dello Sport", na cidade de Trento, na Itália.

A contusão, um rompimento do ligamento cruzado do joelho direito, que rendeu 200 pontos no local, aconteceu em maio de 1985, pouco depois da formalização da transferência do Vicenza, clube que o revelou, para a Fiorentina.

Baggio, que defendeu também Juventus, Milan, Inter de Milão, entre outros, confessou que passou a carreira inteira atuando com dores, por causa de inúmeras graves lesões, algo que o levou a procurar abrigo na religião, já em 1985, quando se tornou budista.

"Buscava algo que me fizesse entender que tudo dependia de mim. Antes, eu culpava os outros. Eu era a vítima e os demais eram responsáveis pelo meu sofrimento. O budismo me ajudou a entender que tudo começa por mim", contou o ex-camisa 10 da 'Azzurra'.

Baggio encerrou a carreira em 2004, defendendo o Brescia, aos 35 anos, cerca de dois anos depois de quase ser convocado para a Copa do Mundo realizada na Coreia do Sul e no Japão, de que ficou fora por causa de um problema físico. EFE

am/bg