EFEBelo Horizonte

O atacante Luis Suárez, que passou por uma cirurgia no menisco do joelho direito há cerca de um mês, afirmou nesta sexta-feira que tem a intenção de jogar os 90 minutos da estreia do Uruguai na Copa América, contra o Equador, mas que isso dependerá do ritmo do jogo, que acontecerá no domingo.

"Obviamente o estado físico vai ser definido pelo ritmo em campo. Quero jogar toda a partida, mas vai depender. Na Copa do Mundo de 2014, pensava que chegaria bem, e aos 15 minutos do segundo tempo estava com cãibras", declarou o jogador do Barcelona

Suárez admitiu que, embora há um mês não dispute um jogo inteiro - o último foi em 7 de maio, contra o Liverpool, pelas semifinais da Liga dos Campeões -, entendeu "com os anos" como lidar com seu estado físico e alegou que sabe "dosar o ritmo".

O atacante também respondeu às críticas que sofreu de alguns torcedores de que sua decisão de passar pela cirurgia seria outra caso o Barcelona tivesse chegado à final da Liga dos Campeões.

"As pessoas não sabem o que é ter o menisco rompido, é impossível continuar jogando", enfatizou.

Suárez alegou que sabia que, ao se submeter à operação em maio, tinha margem para chegar à Copa América em boas condições.

"Estou acima das críticas dos que dizem que não quero vir à seleção. Tomara que ficasse toda a minha carreira bem e sem nenhuma lesão, porque é o pior momento para um atleta", afirmou, além de reforçar que disputa o torneio "com muita vontade e esperança" e "assumindo a responsabilidade" de ser um dos principais nomes da 'Celeste'.

Em relação ao desafio de domingo, contra o Equador, o atacante comentou que vê os adversários em "processo de mudança de geração" e com "um treinador com muita experiência", o colombiano Hernán Darío Gómez. EFE

mam/id

(foto) (vídeo)