EFEWashington

O ator Alec Baldwin, que acidentalmente matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins durante uma filmagem nos Estados Unidos, foi avisado de que a arma de que ele usou não tinha balas, de acordo com o depoimento em poder do tribunal do condado de Santa Fe, no estado de Novo México.

"Arma fria", gritou o diretor assistente de produção Dave Halls enquanto entregava a arma a Baldwin, como são conhecidas as pistolas sem munição real na linguagem cinematográfica, de acordo com documentos divulgados hoje.

No entanto, a arma estava carregada, quando o ator disparou, Halyna Hutchins foi morta acidentalmente, enquanto o diretor do filme, Joel Souza, ficou ferido.

Baldwin estava filmando "Rust" em uma fazenda perto de Santa Fe, no Novo México (sul dos Estados Unidos).

Hoje, o diretor Joel Souza disse estar "destruído" pela morte de Halyna Hutchins, lembrando que ela era uma profissional "incrivelmente talentosa".

O incidente ocorreu na última quinta-feira, no Bonanza Creek Ranch, um cenário utilizado por muitas produções de Hollywood.

Por enquanto, as autoridades descartaram acusações criminais e estão colhendo depoimentos da equipe do filme para esclarecer os fatos.

A empresa responsável pelas filmagens, na qual Baldwin atua como protagonista e produtor, divulgou uma carta que dizia que toda a equipe está "arrasada" com o ocorrido e prometeu oferecer ajuda psicológica a todos os envolvidos nas filmagens, que serão suspensas indefinidamente.

Ontem, no entanto, foi divulgado que vários funcionários das filmagens protestaram contra as más condições de trabalho e a falta de segurança.

Segundo fontes citadas pelo jornal "Los Angeles Times", meia dúzia de assistentes e cinegrafistas pediram demissão no dia do acidente fatal, já que tinham ocorrido problemas com a mesma arma anteriormente, que em sua opinião não estava devidamente supervisionada. EFE