EFECairo

Pelo menos 54 pessoas, entre elas 28 civis, morreram em bombardeios de aviões militares contra uma região controlada pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no leste da província de Deir ez Zor, no nordeste da Síria, informou nesta quinta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG disse que a maioria dos civis mortos eram refugiados iraquianos que fugiram para essa região de fronteira com o Iraque, enquanto os demais eram jihadistas nas fileiras do EI, de nacionalidades sírias e iraquianas.

Os ataques tiveram como alvo uma concentração de civis em uma fábrica de gelo situado entre as localidades de Al Susa e Al Baguz al Fuqani, ambas situadas no leste de Deir ez Zor e sob controle dos jihadistas, segundo a fonte.

A ONG - cuja sede fica no Reino Unido, mas que conta com uma ampla rede de colaboradores no terreno - advertiu que o número de mortos poderia aumentar devido às dezenas de pessoas que ficaram feridas pelos ataques, algumas delas de gravidade.

O Observatório não detalhou se os equipamentos militares usados nos ataques pertencem à coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, ou às forças iraquianas.