EFEPraia

Cabo Verde recebeu a solicitação formal dos Estados Unidos pela extradição do empresário colombiano Álex Saab, acusado de ser "laranja" do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, segundo confirmou à Agência Efe uma fonte do governo cabo-verdiano.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Cabo Verde recebeu na segunda-feira um pedido de extradição feito pelo Departamento de Justiça dos EUA.

Saab foi detido em 12 de junho no aeroporto internacional Amilcar Cabral, na ilha de Sal, após uma solicitação dos EUA processada através do alerta vermelho da Interpol por suposta lavagem de dinheiro. O órgão cabo-verdiano tem um prazo de 65 dias, contados a partir de 12 de junho, para responder ao pedido americano.

"A resposta da PGR consistirá em uma opinião judicial legalmente justificada que se dirigirá ao governo de Cabo Verde, que tomará sua decisão. A decisão final será tomada no Tribunal de Apelações de Barlavento, na ilha de São Vicente, e a defesa também pode recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça", explicou a mesma fonte.

INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CABO VERDE.

A fonte se mostrou "um pouco preocupada com a politização do caso pelos advogados de Álex Saab na imprensa cabo-verdiana", com o receio de que possa "condicionar a opinião dos tribunais de Cabo Verde, que não veem nenhuma interferência política na ação".

O governo do país tem mantido uma posição de "distanciamento total em relação ao caso", permitindo que o Judiciário trabalhe com independência.

De acordo com a fonte, a decisão final deve ser favorável à extradição, mas caso o pedido seja recusado os EUA "saberão compreender" porque em Cabo Verde os tribunais atuam de maneira independente, sem interferência política ou outros interesses".

"Os Estados Unidos não tentaram influenciar na decisão a seu favor. A pressão da Venezuela tem sido intensa", afirmou ao analisar o lado diplomático do caso.

Após a detenção do suposto "laranja", a Venezuela destacou que Saab é cidadão venezuelano (nascido na Colômbia) e um "agente" do governo que estava "de passagem" por Cabo Verde para retornar ao país.