EFESantiago de Chile

Caminhoneiros realizaram um protesto nesta quarta-feira em rodovias de acesso ou que circundam Santiago, no Chile, contra as tarifas de pedágio cobradas em todo o país, o que gerou caos no horário de rush na capital.

O ato, convocado por um coletivo da categoria, consistiu nos condutores dirigirem em comboio lentamente, depois de dois dias de rodadas de negociação com o governo, sem qualquer resultado positivo, por reduções nos valores diários e mensais.

Os motoristas dos caminhões iniciaram percurso no sul de Santiago, em velocidade anormal, pela Ruta 5, que faz parte da Autopista Panamericana, que leva até a região central de Santiago.

Entre as principais reivindicações dos manifestantes estão a redução de 80% do preço do sistema TAG, em que os veículos carregam dispositivo para fazer pagamento online.

Os motoristas afirmam que o gasto mensal com pedágios nas principais rodovias privatizadas do país pode chegar a 120 mil pesos (R$ 641).

O protesto dos caminhoneiros é só mais um capítulo da agitação social que o Chile atravessa nas últimas semanas. Ao todo, já são 20 dias de atos, com diversas motivações ligadas à melhoria da qualidade de vida. Nas manifestações, 20 pessoas morreram até hoje.