EFECaracas

Chavismo e oposição medem forças nesta terça-feira na Venezuela, com a organização de manifestações favoráveis e contrárias ao governo de Nicolás Maduro em Caracas e outras cidades do país.

Maduro, no poder desde 2013, receberá no centro da capital simpatizantes que farão protesto para denunciar o que o chavismo considera como uma tentativa de golpe de Estado contra o governo e para pedir respeito à soberania da Venezuela.

Em paralelo, a oposição organiza um movimento que marchará por diversos bairros de Caracas em direção a Chacao, no leste da cidade. A expectativa é que milhares de pessoas declarem apoio a Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino no fim de janeiro.

A oposição exige, entre outras coisas, a entrada da ajuda internacional que está na cidade de Cúcuta, na Colômbia. Segundo os críticos de Maduro, o auxílio servirá apenas para atenuar a severa crise enfrentada pela Venezuela nos últimos anos.

Eles também querem que Maduro deixe o poder para instalar um governo transitório, liderado por Guaidó, para convocar eleições livres. A oposição considera que a eleição vencida pelo líder chavista não foi legítima e que ele, portanto, "usurpa" o poder.