EFEHarare

O ciclone tropical Idai deixou 24 mortos e dezenas de desaparecidos no Zimbábue após deixar 126 vítimas em Moçambique, África do Sul e Malawi.

"O governo, através da Unidade de Proteção Civil, ativou os sistemas de gestão de desastres", afirmou o Ministério da Informação em nota, explicando que os grupos de resgate incluem integrantes do Exército, da Força Aérea e mergulhadores da Polícia Nacional.

As mortes ocorreram principalmente no montanhoso distrito de Chimanimani East, na fronteira com Moçambique. Segundo o governo do Zimbábue, a região foi atingida por fortes ventos e chuvas.

O ciclone Idai chegou ao litoral de Moçambique na quinta-feira e provocou muitos danos na cidade litorânea de Beira, deixando 500 mil habitantes sem energia. Além disso, 19 pessoas morreram.

As fortes chuvas e inundações decorrentes da passagem do ciclone no sudeste da África deixaram 126 mortos em Moçambique, Malawi e África do Sul, segundo a Cruz Vermelha.

O Idai atingiu o oeste do Zimbábue na tarde de sexta-feira, deixando isoladas várias regiões do distrito de Chimanimani.

"É muito pior do que a gente temia. Muitas casas foram destruídas e há vítimas", disse um morador da região à Agência Efe.