EFETrípoli

Pelo menos 34 combatentes das forças rivais líbias (leste e oeste) morreram em violentos combates que explodiram nas últimas horas no sul da capital, assediada desde 4 de abril em uma tentativa do marechal Khalifa Hafter, homem forte do país, para expulsar o governo reconhecido pela ONU em Trípoli (GNA), informou à Agência Efe uma fonte de segurança.

Segundo o testemunho, 29 vítimas pertenciam ao chamado Exército Nacional Líbio (LNA), sob o comando de Hafter, enquanto os outros faziam parte das forças afins ao GNA.

O "violento" ataque aconteceu, explicou a fonte, desde três eixos diferentes - a estrada do aeroporto de Trípoli, Al Yarmouk e Khila - que permitiu ganhar várias posições do LNA, entre elas, em Al Sawani e em Ramla.

Além disso, afirmou que os combates começaram nas imediações do aeroporto de Mitiga, o único em operação na capital e cobiçado por ambas as partes, e chegaram até o interior das instalações.

No último relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi anunciado que pelo menos 653 pessoas morreram, entre elas 41 civis, e outras 3.547 ficaram feridas durante os combates na capital. EFE

mak-no-nrm/ff/ma