EFEHavana

Cuba superou a marca de 20 mil casos acumulados de covid-19 nesta sexta-feira, notificar 530 novos contágios, o terceiro número mais alto em um só dia desde o início da pandemia, de acordo com a atualização mais recente dos dados do Ministério de Saúde Pública (Minsap).

O país acumula 20.060 infecções e 188 mortes por complicações da doença, quatro delas nas últimas 24 horas, em meio a uma terceira onda de contágios que provocou a volta das medidas de restrição em boa parte do país.

O recorde diário de casos até o momento foi registrado no dia 17 de janeiro, quando as autoridades reportaram 650 infecções, após dias com mais de 500 contágios.

Entre os 530 positivos comunicados nesta sexta-feira, 41 são casos importados, o que representa um aumento em relação a dias anteriores, mas ainda bem abaixo dos números alcançados em dezembro, quando, em média, a metade dos casos diários correspondia a viajantes procedentes do exterior.

Desde o dia 1º de janeiro, Cuba reduziu ao mínimo a chegada de voos de seis países da região, entre eles EUA e México, e desde o dia 10 exige um exame de PCR negativo para entrar no país.

No momento, o país contabiliza 4.526 casos ativos, dos quais 14 estão em situação crítica e 31, grave. Ao todo, 3.484 pessoas estão internadas em hospitais cubanos com sistomas suspeitos e 1.074 em vigilância epidemiológica.

Cuba prepara quatro candidatas a vacinas para a covid-19, mas todas estão em fase intermediária de testes clínicos, e o governo ainda não adquiriu doses no mercado internacional.

Autoridades de saúde cubanas anunciaram que esperam produzir até 100 milhões de doses da própria vacina nos próximos meses, o que cobriria a imunização de toda a população cubana, ou seja, 11,2 milhões de pessoas.