EFEPorto Príncipe

O diretor-geral da Polícia Nacional do Haiti, Léon Charles, pediu demissão nesta quinta-feira, como consequência do sequestro no último sábado de 17 missionários dos Estados Unidos e Canadá.

Charles será substituído pelo comissário Frantz Elbe, de acordo com anúncio do primeiro-ministro, Ariel Henry, em declarações ao jornal "Le Nouvelliste".

"O diretor-geral da Polícia Nacional do Haiti, Léon Charles, entregou sua demissão. Ele foi substituído por Frantz Elbé (...) No momento, ainda não há outras mudanças no governo", disse Henry.

Charles comandava a polícia na época do assassinato do presidente Jovenel Moise, em 7 de julho deste ano, caso em que diversos agentes da instituição estão sendo investigados.

O diretor estava no comando da polícia desde novembro de 2020 e enfrentou uma das mais graves ondas de violência dos últimos tempos no Haiti, causada por dezenas de gangues armadas que exercem seu domínio em vários pontos da área metropolitana de Porto Príncipe.

O aparente motivo para a saída de Léon Charles é o sequestro de 17 missionários estrangeiros, 16 deles americanos e um canadense, ocorrido no último sábado, quando eles voltavam de um orfanato nos arredores da capital. EFE