EFEMadri

O ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, alertou nesta quinta-feira que a região de Madri, a mais afetada pela segunda onda da pandemia da Covid-19, passará por semanas difíceis, e pediu determinação para controlar a doença.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério espanhol, Madri continua a registrar o maior número de novas infecções em todo o país, com 3.730 novos casos notificados ontem.

"Semanas difíceis estão chegando em Madri e devemos agir com determinação para assumir o controle da pandemia. Nesse contexto, faremos nossas recomendações", disse Illa, em entrevista coletiva.

As autoridades regionais de Madri vão anunciar amanhã a extensão das medidas impostas na região sul a outras áreas da comunidade autônoma onde a incidência do vírus é semelhante.

Desde a última segunda-feira, 37 unidades de saúde da região têm dificuldade de locomoção, restrição que atinge quase um milhão de pessoas que só podem sair de seus bairros e municípios para trabalhar, estudar ou fazer compras.

Além de ampliar essas restrições, o governo regional de Madri solicitou ao governo espanhol ajuda militar, policial e a contratação de 300 médicos extracomunitários para apoiar o sistema de saúde.

Até agora, o governo regional de Madri não contemplou um confinamento total, embora não esteja descartado realizá-lo se a situação epidemiológica assim o exigir.