EFEMadri

O Ministério da Saúde da Espanha registrou, nesta terça-feira, 10.799 novas infecções por Covid-19, 3.125 nas últimas 24 horas - 30% delas em Madri -, elevando o número total desde o início da pandemia para 682.267 casos e 30.663 mortes, com 339 confirmadas neste último boletim.

De acordo com os dados das comunidades autónomas ao Ministério, Madri continua em primeiro lugar em relação às novas infecções, com 3.652 em comparação com os números de ontem, e 953 nas últimas 24 horas; seguido por Navarra, com 348; Andaluzia, com 335; e Aragão, com 308.

Segundo o relatório divulgado hoje pela Secretaria de Saúde de Madri, desde o início da pandemia, foram confirmados 208.412 casos por testes de PCR. Além disso, 15.930 pessoas na região faleceram em decorrência da Covid-19.

Até o momento, 3.111 pessoas foram internadas em hospitais de Madri por coronavírus (69 a menos que ontem) e 417 estão atualmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Com estes números, Madri poderá estender para outras áreas, as restrições que entraram ontem em vigor no sul da região, caso a situação epidemiológica o exija, segundo as autoridades sanitárias local, que não descartaram um regresso a um maior "confinamento" como o ocorrido no início da pandemia.

Os critérios para impor novas restrições em mais áreas serão os mesmos que foram estabelecidos para decretar as limitações nas 37 áreas sanitárias em que já estão em vigor - ou seja, uma taxa de incidência cumulativa de mais de mil infecções por 100 mil habitantes - se esta tendência for estável ou crescente ou devido à proximidade de outras áreas afetadas.

De acordo com o mapa da situação epidemiológica de Madri, 47 unidades básicas de saúde da região já atingem esse nível de incidência, sendo que em 16 delas não existem atualmente limitações, o que permite a extensão das medidas a algumas delas. EFE

nac-ajs/phg

(foto)(vídeo)