EFEMadri

O Ministério da Saúde da Espanha registrou nesta quinta-feira o maior número de infecções pelo novo coronavírus desde o final de maio - 2.935 casos nas últimas 24 horas -, embora isto inclua os dados acumulados pela região de Madri em dois dias, que chegam a 337.334 em todo o país desde o início da epidemia.

De acordo com o porta-voz do Ministério da Saúde para a Epidemia, Fernando Simón, hoje em entrevista coletiva, 50% dos infectados nos últimos dias não apresentam sintomas.

Nos últimos sete dias, foram 70 mortes por Covid-19 na Espanha, 20 na região de Aragão e 14 na Galiza.

Madri, que ontem não pôde fornecer seus dados por problemas técnicos, registrou 842 novos casos nas últimas 24 horas.

Além disso, a região com mais infecções diárias é o País Basco (545), seguido de Aragão (418) e depois vem a Catalunha (164), onde são realizados testes de diagnósticos em massa, e da Galiza (107).

Aragão, uma das regiões mais afetadas, está estável há vários dias, segundo Simón, e mostra mesmo alguns sinais de melhora, mas a transmissão pode continuar em algumas áreas. EFE

nac/phg