EFEMadri

A Espanha vai às urnas neste domingo para a segunda eleição geral no país em 2019 e pela quarta vez em quatro anos, com o objetivo de destravar um diálogo político que impediu até aqui a formação de um bloco no Parlamento que permita a um dos partidos governar.

O pleito também acontece em um momento de forte tensão política na Catalunha devido à atuação de grupos radicais independentistas.

Às 9h (horário local; 5h de Brasília) abriram os quase 23 mil centros de votação espalhados pelo território nacional para os cerca de 37 milhões de eleitores aptos a exercer o direito ao voto.

Nesta eleição, a 14ª desde a restauração da democracia no país, poderão votar 226.771 novos eleitores que completaram 18 anos desde o pleito anterior, que aconteceu em abril.

Hoje serão eleitos os 350 membros do Congresso dos Deputados e 208 dos 265 integrantes do Senado - os demais 57 são definidos pelos parlamentos regionais.

Os maiores partidos que disputam as eleições espanholas são o socialista PSOE, atualmente no poder de forma interina, o conservador PP, o liberal Ciudadanos, a coalizão de esquerda Unidas Podemos e o ultradireitista Vox.

Para garantir a segurança na votação, o governo montou um esquema de segurança que conta com 93 mil agentes em toda a Espanha e incluiu membros da Polícia Nacional, da Guarda Civil e das polícias das comunidades autônomas. EFE

nac/id

(foto) (video)