EFEAdis Abeba

O Conselho Nacional de Eleições da Etiópia (NEBE, na sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira o adiamento, por período ainda indefinido, das eleições gerais que seriam realizadas no dia 29 de agosto, devido à pandemia de Covid-19.

"Após uma avaliação detalhada do impacto que a Covid-19 teria em suas ações, o NEBE decidiu cancelar o atual calendário eleitoral e suspender todas as operações para as eleições que estavam programadas para agosto de 2020", disse a organização em comunicado.

Entre outras razões, o NEBE afirma que não pode garantir a segurança e que a atual situação de circulação restrita já impede alguns preparativos pré-eleitorais.

Em fevereiro, o presidente do órgão, Birtukian Mideksa, adiou as eleições de 28 de maio para agosto, porque a data anterior caiu no meio da estação chuvosa, o que complicou a realização da votação neste país de cerca de 109 milhões de habitantes.

Embora a Etiópia tenha realizado eleições desde 1995, com exceção das eleições de 2005, nenhuma votação foi verdadeiramente competitiva. Neste ano, o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed Ali, tinha prometido eleições democráticas.

Na Etiópia, há 26 casos confirmados de Covid-19, e embora não tenham sido relatadas mortes, 22 pacientes estão em centros de isolamento e duas pessoas em estado crítico, de acordo com o último relatório da ministra da Saúde, Lia Tadesse.

Para conter o surto, a Etiópia fechou as fronteiras, e a entrada no país só é possível sob a condição de que a pessoa seja submetida a uma quarentena monitorada por 14 dias.

Além disso, vários estados decidiram suspender viagens e proibir veículos de transporte público para evitar a entrada de casos suspeitos, apesar de o governo central ainda não ter declarado estado de emergência sanitária. EFE

ag-ime/vnm