EFEAdis Abeba

A Etiópia realizou neste domingo um grande funeral simbólico em homenagem às 157 pessoas que morreram na queda de um avião operado pela companhia aérea Ethiopian Airlines na semana passada.

A cerimônia foi foi celebrada no cemitério da igreja Saint Trinity da capital Adis Abeba e contou com a presença de milhares de pessoas, entre elas parentes e amigos das vítimas, assim como funcionários da Ethiopian Airlines.

Como nenhum corpo foi recuperado após o acidente, as autoridades recolheram terra da região do acidente e cada parente enterrou um quilo. Cada vítima terá agora uma lápide marcada com o seu nome no cemitério.

Além disso, 17 caixões vazios cobertos com a bandeira da Etiópia foram levados em um cortejo fúnebre pela capital. Alguns parentes das vítimas chegaram a desmaiar durante o ato.

O ministro dos Transportes etíope, Dagmawit Moges, disse no sábado que identificar as vítimas através de testes de DNA pode demorar até seis meses, em declarações exibidas pela televisão estatal "ETV". Enquanto isso, os parentes das vítimas receberam certidões de óbito temporárias.

O avião da Ethiopian Airlines caiu depois de decolar de Adis Abeba com destino a Nairóbi no domingo, segundo confirmou a companhia aérea etíope.

Entre as vítimas, de 35 nacionalidades, morreram 32 quenianos, nove etíopes, 18 canadenses, oito italianos, oito chineses, oito americanos, sete britânicos, sete franceses, seis egípcios, cinco holandeses, quatro indianos, quatro eslovacos, três austríacos, dois espanhóis e dois marroquinos, além de quatro pessoas que viajavam com passaportes das Nações Unidas, entre outros.