EFEMiami (EUA)

Carole Brookins, ex-diretora executiva do Banco Mundial para os Estados Unidos, morreu aos 76 anos, em Palm Beach, na Flórida, após ter sido diagnosticada com o novo coronavírus, segundo publicou nesta sexta-feira o jornal "Palm Beach Post".

A executiva, que esteve no comando do braço local do órgão entre 2001 e 2005, apresentou sintomas e deu positivo para a infecção depois de ter realizado uma viagem à França, ainda de acordo com a mesma publicação local.

De acordo com fontes da World Perspectives, empresa de consultoria fundada por Brookins, a morte aconteceu na última quarta-feira.

Ao todo, 29 pessoas morreram na Flórida em decorrência da infecção pelo novo coronavírus, segundo informações oficiais. O total de pessoas que deram positivo para o patógeno é de cerca de 2,5 mil.

Em Palm Bech, o Escritório do Xerife anunciou que 40 agentes estão em quarentena, depois que foram expostos ao coronavírus.

Diferente do que aconteceu em estados como Califórnia, Nova York, Illinois, entre outros, o governador da Flórida, o republicano Ron DeSantis, se recusou a decretar qualquer iniciativa para promover o isolamento da população.

A cidade de Miami, por sua vez, estabelecerá a partir de hoje um toque de recolher, que vigorará de 22h às 5h, para todas as pessoas que não tenham obrigação de sair de casa por causa do trabalho nesse período.