EFELondres

O ex-ministro da Saúde do Reino Unido Sajid Javid discursou com duras palavras nesta quarta-feira no Parlamento do país contra o primeiro-ministro, Boris Johnson, um dia após entregar o cargo devido escândalo sexual no governo.

"Começa acima do todo, e isso não vai mudar", disse o antigo integrante do Executivo, ao falar sobre os problemas que afetam a cúpula do poder britânico.

Em um discurso na Câmara dos Comuns, Javid cobrou a renúncia de Johnson e cobrou que os integrantes remanescentes entreguem os cargos.

"Eu temo que só seja possível apertar a tecla de reinício um determinado número de vezes", afirmou o ex-ministro da Saúde.

Javid apresentou ontem a denúncia, assim como fez o ministro da Economia, Rishi Sunak, e outros 16 ocupantes de cargos de menor escalão do governo.

O ex-ministro da Saúde afirmou hoje que uma das coisas que os políticos podem controlar são seus "valores e comportamentos".

"Estou profundamente preocupado por como as próximas gerações verão o Partido Conservador, se seguirmos com esse rumo", disse Javid.

Segundo político, que também ocupou a pasta da Economia, é "essencial" que os conservadores atuem de acordo com os ideais de "decência e responsabilidade pessoal".

Nas últimas horas, também se demitiram os secretários de Estado de Justiça, Tesouro, Infância e Habitação, nesta que é a maior crise enfrentada por Johnson desde que assumiu o poder, em 2019.

As renúncias aconteceram após o premiê reconhecer - depois de negativas iniciais - que sabia que o deputado Chris Pincher, responsável pela disciplina da ala parlamentar conservadora, havia sido investigado por comportamento inapropriado, ao ter "apalpado" dois homens. EFE er/bg