EFEWashington

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Jerome Powell, advertiu nesta terça-feira que o aumento de casos de covid-19 e a variante ômicron do coronavírus podem retardar o progresso no emprego e no crescimento econômico, além de gerar mais "incerteza" sobre a inflação.

As declarações de Powell foram feitas diante do comitê bancário do Senado, onde se juntou à secretária do Tesouro, Janet Yellen, em um momento sensível para a economia dos EUA, com uma inflação em níveis não vistos em 30 anos.

"Uma maior preocupação com o vírus pode reduzir a vontade das pessoas de trabalhar pessoalmente, retardando o progresso no mercado de trabalho e intensificando os problemas nas cadeias de abastecimento", disse Powell. Como resultado, "os riscos de uma inflação mais elevada aumentaram".

Em outubro, a inflação nos EUA era de 6,2% em relação ao ano passado, e Powell insistiu que espera que os números fiquem moderados a partir de meados de 2022.

O banco central dos EUA tem mantido taxas de juros na faixa de 0% a 0,25% desde março de 2020 para apoiar a economia com a chegada da pandemia.

O Fed realizará a sua última reunião de política monetária do ano em 14 e 15 de dezembro, na qual apresentará as suas novas previsões macroeconômicas. Em setembro, a entidade projetou uma taxa de crescimento de 5,9% e uma inflação de 4,2% para o final de 2021. EFE