EFEBuenos Aires

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, conversou neste sábado com o presidente da França, Emmanuel Macron, sobre a soltura de Lula e um possível novo cenário político no Brasil e na América Latina.

"Falamos de Lula, do Chile, da Argentina, da Bolívia, da Venezuela... Dos problemas do continente. E senti, quando conversei com o presidente Macron, que ele me entendia", declarou Fernández durante a abertura do segundo dia do encontro do Grupo de Puebla, realizado em Buenos Aires.

Fernández assumirá a presidência argentina em 10 de dezembro e foi o primeiro orador do evento.

Ao falar sobre a conversa "de cerca de uma hora" por telefone com Macron, ele disse que um dos temas foi a soltura do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

"Hoje disse ao presidente Macron que, com Lula livre, sopram outros ventos no Brasil, e que ele confie nesses ventos", declarou.

"Também lhe contei o que está acontecendo no Chile. Disse a ele: presidente, o milagre chileno é que os chilenos nunca tinham reagido antes", comentou o político argentino.

O Grupo de Puebla, que reúne líderes políticos de esquerda latino-americanos, conta em Buenos Aires com a presença de ex-presidentes como Dilma Rousseff e o ex-chanceler Celso Amorim, entre outros.