EFEBogotá

O Ministério da Saúde da Colômbia propôs nesta sexta-feira às autoridades das regiões do país mais afetadas pela terceira e mais mortífera onda da pandemia de covid-19 que tomem novas restrições para conter a propagação do novo coronavírus.

O ministro da pasta, Fernando Ruiz, pediu às autoridades das cidades que nas últimas semanas tiveram um grande número de casos, particularmente 13 cidades do centro e do sul do país, para implementar "medidas para reduzir a mobilidade e expandir o distanciamento social".

A capital, Bogotá, registrou ontem quase metade dos 32.997 novos contágios na Colômbia, e há várias semanas vive um cenário de hospitais lotados. Medellín e Cali também estão no topo do ranking de cidades do país mais afetadas pela covid-19.

"Divulgamos uma circular pela qual pedimos a todas as cidades que estão em um alto nível de contágio que submetam seus planos para (o) controle da pandemia com medidas restritivas", disse Ruiz.

Essas medidas, que foram definidas pel Ministério da Saúde e os prefeitos e governadores das regiões mais atingidas, incluem restrição à circulação nas ruas de acordo com o número do documento de identidade dos colombianos e um toque de recolher noturno.

Na quinta-feira, a Colômbia registrou 32.997 contágios por covid-19, o maior número diário desde o início da pandemia, elevando o total de casos para 4.060.013. Além disso, 689 pessoas morreram em 24 horas, e 102.636 desde o começo da crise sanitária.