EFECaracas

As emissoras privadas 92.9 FM e Mágica 99.1 saíram do ar nas últimas horas deste sábado após o governo da Venezuela ter cancelado a renovação das concessões de ambas.

As informações ainda não foram confirmadas oficialmente pela Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), mas a presidente da Câmara de Rádio, Enza Carbone, divulgou a decisão do governo em um comunicado e convocou o órgão para uma reunião extraordinária.

"Lamento informá-los que a Conatel notificou as emissoras 92.9 FM de Caracas e Mágica 99.1 FM de que suas concessões não serão renovadas e ordenou o fim de suas transmissões", disse Carbone.

O gerente-geral da Rádio Caracas, Jaimes Nestares, também divulgou a informação no Twitter e pediu que ambas sigam no ar.

O jornal venezuelano "El Universal" indicou que as duas rádios já foram, inclusive, substituídas por outras. "A emissora Corazón Llanero tomou posse da frequência da 92.9 e a Rádio Vinotinto FM já substituiu a Mágica FM", afirmou jornal.

A oposição reagiu à decisão do governo. O deputado Tomás Guanipa afirmou que o governo segue promovendo censura e que agora acaba com algumas das rádios mais emblemáticas da Venezuela.

Há dois dias, os canais colombianos de televisão "RCN" e "Caracol" foram excluídos da programação da Venezuela por ordem da Conatel, que nos últimos meses também cortou o sinal de veículos estrangeiros como a "CNN en español" e a "Infobae".