EFECaracas

O chefe da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, autoproclamado presidente do país, anunciou neste sábado que percorrerá várias regiões para montar o que batizou de "comandos pela liberdade" e reafirmou que, em breve, irá reinvidicar para o governo interino o palácio presidencial em Caracas, hoje ocupado por Nicolás Maduro.

"Estaremos em cada estado da Venezuela e em cada estado que visitarmos a responsabilidade será dos senhores, dos dirigentes, de nos organizarmos em comandos pela operação da liberdade", disse o líder opositor em um protesto no estado de Carabobo.

"Uma vez organizados, vamos juntos a Miraflores (o palácio presidencial) reinvidicar o que é do povo da Venezuela", continuou.

Guaidó pediu aos simpatizantes que levem sua mensagem aos servidores públicos e aos militares. O autoproclamado presidente voltou a oferecer anistia para aqueles que se rebelem contra Maduro, considerado pela oposição como um "usurpador" do poder.

O opositor pediu que a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) se coloque "ao lado da Constituição" e pediu que os militares não reprimam aqueles que protestam para exigir um novo governo.

A oposição está realizando uma série de reuniões neste sábado em toda a Venezuela para explicar aos simpatizantes os próximos passos para tirar Maduro do poder.