EFENações Unidas

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou nesta sexta-feira que confia que a Cúpula para a Ação Climática, realizada pela organização na próxima segunda-feira, se transformará em um empurrão na luta contra o aquecimento global em todo o mundo.

Em um encontro com jornalistas às vésperas do evento, Guterres disse não ser um "juiz" sobre o assunto e que não pretende ditar como os líderes mundiais devem resolver a questão. No entanto, ressaltou que é preciso que todos os atores internacionais, sejam governos, empresas ou outras organizações, caminhem juntos na defesa do meio ambiente.

"O objetivo é que todo o mundo vá na mesma direção", disse Guterres.

O secretário-geral da ONU reconheceu que a reunião não é suficiente e nem capaz de resolver todos os problemas, mas pode ser um impulso para que as pessoas se movam. Para ele, esse processo já está em andamento, especialmente por parte de empresas, que já perceberam que será mais rentável no futuro lutar contra a mudança climática.

A Cúpula para a Ação Climática da ONU não terá a participação ativa de países com política ambiental controversa, casos dos Estados Unidos e da China, as duas maiores economias do mundo. O Brasil também não foi incluído na lista dos que farão discurso no evento.

Guterres abrirá na próxima segunda-feira a Cúpula para a Ação Climática, que terá também a participação da jovem ativista sueca Greta Thunberg, uma das líderes da greve global convocada nesta sexta-feira para alertar o planeta sobre a importância do tema.