EFEWashington

Um homem tentou atear fogo ao próprio corpo nesta sexta-feira em frente à Casa Branca, mas agentes do Serviço Secreto, o corpo encarregado de proteger o presidente dos Estados Unidos e sua família, o impediram, segundo informaram meios de comunicação locais.

O incidente aconteceu por volta das 14h45 (horário local, 13h45 de Brasília) perto da cerca que rodeia a residência presidencial na parte norte dos jardins, unto à Avenida Pensilvânia.

"O indivíduo foi levado a um hospital local com o que parecem ser ferimentos que não representam uma ameaça para a sua vida", afirmou o Serviço Secreto em uma mensagem divulgada nas redes sociais poucos minutos depois do incidente.

De acordo com as autoridades, o suspeito movia-se em uma cadeira de rodas elétrica quando, de repente, botou fogo em sua jaqueta.

"Agentes da Divisão Uniformizada - do Serviço Secreto - atuaram imediatamente, apagaram o fogo e lhe prestaram os primeiros socorros", acrescentou a mensagem.

Devido ao incidente, as autoridades interromperam o trânsito em uma rua divisória, a Casa Branca fechou seus acessos e, durante alguns minutos, ninguém pôde entrar nem sair do recinto.

Vários incidentes similares nos últimos anos, protagonizados por indivíduos que saltaram a cerca que protege a Casa Branca, motivaram um aumento gradual da segurança no perímetro da residência presidencial.

Em fevereiro do ano passado, uma mulher chocou seu veículo contra uma das cercas de segurança que protegem o edifício, o que causou o fechamento temporário do complexo que abriga a residência presidencial.

Este incidente aconteceu minutos depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, e o primeiro-ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, deram uma entrevista coletiva conjunta na própria Casa Branca.

Apenas um mês depois, um homem morreu após se dar um tiro em frente à Casa Branca por motivos desconhecidos.