EFECairo

Os rebeldes houthis do Iêmen anunciaram nesta segunda-feira uma pausa nos ataques com mísseis balísticos e com drones contra a Arábia Saudita, para favorecer a rodada de consultas de paz prevista para o final do ano.

O chefe do Comitê Revolucionário Supremo, o órgão executivo do grupo insurgente, Mohammed Ali al Huti, anunciou a cessação dos ataques em comunicado divulgado pela televisão "Al Masira".

"Pedimos a todas as partes oficiais que parem com o lançamento de mísseis e envio de drones contra os países da agressão, para acabar com qualquer desculpa para a continuação da agressão e do bloqueio", disse Hut.

Os houthis fizeram vários ataques com mísseis balísticos contra o território saudita nos últimos meses, em resposta à intervenção militar liderada por Riad contra o grupo rebelde, apoiado pelo Irã.

O líder rebelde afirmou que a iniciativa é uma resposta aos apelos do enviado especial da ONU para o Iêmen, Martin Griffiths, para que todas as partes se esforcem em reduzir as hostilidades para favorecer as consultas de paz.

"Se a coalizão quer a paz, estamos dispostos a congelar e suspender as operações militares em todos as frentes", disse Huti.

Ele lembrou que o Iêmen sofre a maior crise humanitária do mundo "por causa da agressão e do bloqueio" aplicado pela coalizão militar liderada pela Arábia Saudita.