EFETeerã

O Irã confirmou que os ataques a um de seus petroleiros na sexta-feira no Mar Vermelho foram com mísseis e que tem pistas sobre a origem deles, segundo o secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do país, Ali Shamkhani.

"Foi formado um comitê especial para investigar o ataque ao nevio Sabiti, que foi alvo de dois mísseis perto da costa da Arábia Saudita no Mar Vermelho, e o relatório final será apresentado em breve às autoridades para que tomem as decisões cabíveis", informou neste sábado a agência iraniana de notícias "Fars".

"Ao revisar as imagens de vídeo existentes e as provas compiladas, foram descobertas as principais pistas sobre este perigoso ataque contra o petroleiro iraniano no Mar Vermelho", disse Shamkhani, que também é assessor do líder supremo iraniano, Ali Khamenei.

Shamkhani disse ainda que "a pirataria e a maldade nas vias marítimas internacionais realizadas com o objetivo de tornar inseguro o deslocamento das embarcações comerciais não ficarão sem resposta".

Nesta sexta-feira houve dois ataques ao petroleiro iraniano Sabiti quando ele estava a 60 milhas náuticas da cidade saudita de Jidá e que provocaram um vazamento de petróleo no Mar Vermelho.

A princípio, as autoridades iranianas apenas confirmaram que o incidente era devido a um ataque, sem mencionar que tinha ocorrido um bombardeio com mísseis.

O Sabiti, que pertence à Companhia Nacional do Petróleo iraniano (NIOC) e cujos tripulantes conseguiram controlar o vazamento de petróleo, mudou de rota e seguiu em baixa velocidade rumo ao Golfo Pérsico.